NOVIDADES
Quinta-feira - 17/10/2017 Classe C consome mais turismo

Classe C consome mais turismo

Aumento da renda familiar, preços competitivos no mercado de transporte aéreo, mais empregos e menos desigualdades sociais contribuem para o novo cenário sócio-econômico no setor.

São Paulo – A nova classe C brasileira, que soma 92 milhões de pessoas, é a grande aposta para alavancar os negócios de turismo no Brasil. O ministro do Turismo, Pedro Novais, comemorou, na manhã desta quinta-feira (14), em São Paulo (SP), o crescimento da renda familiar dos brasileiros nos últimos anos, o que gera impactos diretos sobre o setor turístico no país.

Novais afirmou que o Brasil está em festa: é o único entre os principais países emergentes a apresentar crescimento econômico com redução das desigualdades sociais, de acordo com estudo da Fundação Getúlio Vargas (FGV). Segundo o levantamento, em uma década, a renda dos mais ricos cresceu 10% e a dos mais pobres subiu 68%. “O turismo, desenvolvido de forma responsável e sustentável, é um poderoso instrumento para distribuir a renda e combater a miséria em nosso país”, defendeu o ministro.

Os preços das passagens aéreas também estão caindo. Em janeiro de 2011, o valor médio pago por um voo realizado no Brasil foi de R$ 259,94, segunda menor tarifa registrada para um mês de janeiro desde 2002, quando a Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) começou a realizar o levantamento de preços. Em abril de 2011, o custo médio foi de R$ 262,87.

De 2003 até maio de 2011, foram gerados 16.556.238 empregos no país. A criação de postos de trabalho formais permitiu o crescimento do número de carteiras assinadas, “oferecendo estabilidade às famílias brasileiras e possibilitando maior acesso ao crédito para pagamento de passagens e pacotes turísticos”, destacou o ministro. Já o desemprego caiu de 12%, em 2002, para pouco mais de 6% atualmente. “Ou seja, o índice é próximo do pleno emprego”, festejou Novais.

O fluxo de passageiros nos aeroportos brasileiros deve crescer 32% até 2014, passando de 68,2 milhões desembarques domésticos em 2010 para 74 milhões em 2011, segundo o Departamento de Estudos e Pesquisas do Ministério do Turismo. Somente nos cinco primeiros meses deste ano, o número de passageiros viajando dentro do país cresceu mais de 20%: foram 31 milhões de viajantes, contra 26 milhões no mesmo período de 2010. Esse crescimento foi o maior registrado no mundo, neste período, segundo a IATA (Internacional Air Transport Association).

ASCOM

© 2010. Todos os direitos reservados. Melhor visualização em resolução 1024x768 pixels